PATOLOGIAS DA CÓRNEA

A córnea representa a camada mais externa do globo ocular e é a lente mais importante deste sistema. Uma córnea saudável é totalmente transparente, quando fica doente ou perde a sua transparência, a visão fica comprometida. Existem condições congénitas ou adquiridas que podem alterar a sua transparência, prejudicando a visão. Se a opacidade corneana é pequena, a pessoa vê como quem observa um dia enevoado e sem brilho. À medida que a opacidade aumenta, a visão também fica mais enevoada, dificultando a perceção das formas dos objetos.

A córnea.

A curvatura da córnea ajuda a formar a imagem na retina, com foco e nitidez. Qualquer tipo de alteração nesta curvatura prejudica a visão.
Assim, alterações no formato e na transparência da córnea podem comprometer seriamente a visão. Desta forma, deve-se procurar um médico oftalmologista na presença de sintomas ou de alterações na visão.
As doenças ou lesões da córnea podem causar dor, lacrimejamento e diminuição da nitidez da visão.

Entre as alterações/doenças mais comuns que atingem a córnea, podemos destacar:

Queratite

Queratite é a inflamação na córnea, que pode ser provocada por uma lesão ou infeção originada por vírus, bactérias, fungos ou parasitas.

 

Úlcera da Córnea

A úlcera de córnea ou úlcera corneana ocorre quando existe destruição de tecido corneano, uma lesão ou “ferida aberta”, provocando uma área na córnea sem epitélio (camada externa da córnea). A úlcera pode ser superficial, em que atinge somente a camada mais externa da córnea, o epitélio, ou, então, afetar as camadas mais profundas da córnea.

Queratocone

O queratocone ocular é a distrofia mais frequente da córnea. É uma doença não inflamatória, degenerativa, em que ocorre um afinamento progressivo da córnea acompanhado de aumento da sua curvatura. A área central da córnea fica mais fina e a pressão interna do olho, atuando sobre esta área de menor resistência, faz com que ela fique excessivamente curva, adquirindo a forma de cone (ectasia). Torna-se portanto, progressivamente mais fina e irregular, o que provoca a distorção das imagens visuais.

Distrofia Endotelial de Fuchs

A sua manifestação está associada à presença de córnea guttata que são “depósitos” que se acumulam na camada interna da córnea (o endotélio) dificultando o seu funcionamento. A função deste endotélio é manter uma das principais características da córnea: sua transparência. A partir do momento que este endotélio não funciona de forma adequada iniciam os primeiros sintomas da doença

Queratopatia Bolhosa

A queratopatia bolhosa é causada pelo edema da córnea decorrente da falha do endotélio corneano em manter o estado normal de desidratação da córnea. Frequentemente é o resultado de distrofia endotelial corneana de Fuchs ou trauma endotelial corneano.