A visão representa cerca de 85% da nossa interação e integração com os ambientes nos quais vivemos. É um sentido importante, pois possibilita-nos ver todas as coisas ao nosso redor, diferenciar cores, ver as maravilhas da natureza. Assim, os olhos têm uma função essencial em quase tudo o que fazemos.

A saúde visual não é apenas importante nas crianças ou idosos, os olhos sofrem alterações ao longo dos anos. O estilo de vida de hoje em dia (muitas horas em frente ao computador, telemóvel, tablet…) faz com que os nossos olhos se fatiguem muito. Outra preocupação é a partir dos 40 anos, o aparecimento da presbiopia (dificuldade em ver ao perto), o que é normal.

Doenças que podem afetar a visão… 

Os rastreios visuais devem ser dirigidos electivamente às doenças que são a principais causas de cegueira:

  • Cataratas – É uma opacificação do cristalino, que aparece sempre a partir dos 60/65 anos, que pode afetar um ou ambos os olhos, e desenvolve-se lentamente acompanhando o nosso envelhecimento. Tem como sintomas, diminuição da sensibilidade às cores, visão desfocada e enevoada, que é tanto maior quanto mais aumentar a opacificação do cristalino.
  • Diabetes – Principal causa de cegueira a nível mundial. Os doentes diabéticos tem de ser rastreados anualmente, exceto se já tiverem consultas periódicas agendadas.
  • Glaucoma – Aumento da tensão ocular que provoca cegueira por destruição do nervo ótico. Daí a importância de nos rastreios ser medida a tensão ocular regulamente.
  • Degenerescência macular relacionada com a idade (DMRI) – Esta doença deve-se ao envelhecimento prematuro da retina com lesões que vão piorando e que podem causar cegueira (se não forem vigiadas/seguidas).

Sinais a que se deve estar atento… 

  • O sinal mais importante a que se deve estar atento é a diminuição da acuidade visual devendo verificá-la monocularmente e alternadamente, bem como binocularmente (ao ler as legendas da televisão experimentar ver com um olho e depois com o outro, tapando alternadamente os olhos);
  • Visão enovoada, ver duplicado (duas imagens);
  • Ver moscas volantes (manchas escuras a mexerem-se no campo visual);
  • Ter a sensação de relâmpagos e faíscas nos olhos.

A importância do rastreio visual e periodicidade da sua realização…  

De uma forma em geral, desde que a pessoa não seja portadora de doenças oftalmológicas relevantes, deve fazer um exame visual de dois em dois anos. E, a partir dos 60 anos fazê-lo anualmente, pois é partir deste período da vida que, acompanhando o envelhecimento do nosso organismo, também surgem doenças oftalmológicas, tais como: Cataratas, Glaucoma (tensão ocular mais elevada), Degenerescências Maculares relacionadas com a idade, entre outras.