Tudo sobre a Miopia

O que é?

A miopia é uma condição comum do olho caracterizada por “ver mal ao longe”, isto é, num olho normal a imagem dos objetos é focada corretamente na retina permitindo ver bem em todas as distâncias, num olho míope a imagem focada forma-se à frente da retina, fazendo com que a visão ao longe pareça desfocada ou turva. Assim sendo, quem padece de miopia vê muito bem ao perto mas vê mal ao longe.

A miopia também pode ser classificada em diferentes graus medidos em dioptrias:

  • Miopia baixa – até 3 dioptrias;
  • Miopia moderada – de 3 a 6 dioptrias;
  • Miopia alta – + de 6 dioptrias.

Visão saudável

Visão afectada pela miopia

Quais os sintomas?

Um dos principais sintomas da miopia é a dificuldade em ver ao longe, contudo se o paciente apresentar um elevado grau de miopia a visão de perto também pode ficar comprometida.

Normalmente, a miopia é descoberta pela primeira vez em criança, quando manifesta dificuldade em ver para o quadro na sala de aula, queixa-se de dores de cabeça, semicerra os olhos na tentativa de ver melhor e por vezes o seu rendimento escolar pode ser prejudicado. Em casa, também é possível notar quando a criança tem tendência em aproximar-se muito da televisão ou dos objetos.

Outro sintoma é também a dificuldade na condução, especialmente noturna, no caso dos adultos.

Quais as causas?

Não é conhecida a causa exata da miopia, no entanto, é sabido que as pessoas com historial de miopia na família apresentam uma maior predisposição para a desenvolver.

A alteração da curvatura da córnea (a córnea é mais curva que o normal e assim a formação da imagem dos objetos é feita à frente da retina) e o comprimento axial do olho (quando o comprimento do olho é maior do que o comprimento ótico) são outras causas da miopia.

Cura, tratamento e correcção

Infelizmente, a miopia não tem cura mas existe forma de a corrigir/tratar. O tratamento passa pela sua correcção através de óculos ou lentes de contacto. A cirurgia à miopia também é possível depois dos 20 anos e quando esta se encontra estabilizada.

Cabe ao optometrista ou oftalmologista decidir qual o tratamento mais adequado para o paciente.

Cátia Leitão

Optometrista licenciada pela Universidade da Beira Interior

Loja Guarda